segunda-feira, 31 de julho de 2017

Paço Imperial - História.


O Paço Imperial é um edifício colonial muito charmoso localizado na Praça XV, no centro do Rio. Onde foi um dos palcos centrais da história do Brasil. 


Construído no século XVIII para ser residência dos governadores da capitania do Rio de janeiro, passou a ser casa de despachos do Rei de Portugal Dom João VI. Sua construção teve inicio em 1738, com o projeto do engenheiro militar português José Fernandes Pinto Alpoim no Largo do Carmo, atual Praça XV de Novembro e foi finalmente inaugurada em 1743. Na época em que a região passou por intervenções urbanísticas, como a construção das casas de Telles de Menezes em frente ao Paço Imperial, onde ainda hoje tem o famoso Arco do Teles também projetados por Alpoim. Na mesma época também inauguraram um chafariz, trazido de Lisboa e projetado no centro do Largo.

Alpoim aproveitou os edifícios pré-existentes no local para construir o Paço, o armazém real e a casa da moeda, onde até hoje ainda existe ruínas de onde ficavam as chaminés onde eram produzidas as moedas de ouro.  


Foto autoral
Em 1763 então passou a ser casa de despachos. Em 1808, com a chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro, o edifício foi promovido a Paço Real  e usado como casa de despachos do príncipe regente (depois Rei) D. João VI. Somente após a independência do Brasil em 1822, o edifício passou a Paço Imperial, funcionando como despacho e residência eventual de D. Pedro I e depois de D. Pedro II.

Foi no Paço Imperial que aconteceram dois grandes momentos de nossa história, o dia do fico dito por D. Pedro I e a assinatura da lei auria pela princesa Isabel;

Em 9 de Janeiro de 1822, D. Pedro I decidiu ficar no Brasil e não voltar a Portugal indo contra as ordens das cortes Portuguesas que exigiam sua volta a Lisboa. "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico". A partir daí, D Pedro entrou em conflito direto com os interesses portugueses, para romper o vínculo que existia entre Brasil e Portugal. E com esse episódio surgiu então a independência do Brasil, em 7 de Setembro de 1822.

Já em 13 de Maio de 1888, em uma das salas do Paço foi sancionada a lei auria (Lei imperial n° 3.353), assinada pela princesa Isabel que aboliu a escravidão no Brasil. 

O Paço Imperial é considerado o mais importante dos edifícios civis, pela sua importância histórica. 

Hoje é um centro cultural aberto ao público de terça a domingo, das 12h as 19h com entrada franca, onde acontecem mostras dos mais variados tipos (pintura, fotografia, escultura, cinema, música,etc). Tem uma biblioteca de arte e arquitetura e conta com um bistrô (bistrô do paço) de segunda a sexta, das 11h as 19:30h.